Liderança não é para qualquer um, é pra quem tem a vontade de se autoconhecer.

Um dos grandes problemas percebidos nas empresas atualmente está relacionado à questão das lideranças. E eles se apresentam de diversas formas transformando-se em verdadeiros desafios para Gestores de RH e a Direção das empresas e que, em uma grande parte das vezes, também colaboram para que esses problemas aconteçam: desmotivação, baixa produtividade, baixo accountability, falta de direcionamento e sentido, baixos resultados em relação às metas, tédio, e acabam afetando a qualidade de vida e a saúde dos colaboradores e da própria empresa, que se reflete em queda no faturamento, perda de clientes, aumento das reclamações.

Muito comum e um grande erro que acontece é a promoção de pessoas que performam muito bem em alguns papéis, mas quando são promovidos a líderes de equipes e times, não conseguem incentivar nem motivar seus liderados e acabam metendo os pés pelas mãos tentando resolver situações de crises e desafios impondo seu ponto de vista pela autoridade do cargo e acabam prejudicando os relacionamentos interpessoais e levando pessoas a um estado de desinteresse e desmotivação.

“A verdadeira liderança é percebida e não imposta.”

Excelentes vendedores, técnicos maravilhosos e muito competentes e tantos outros exemplos quando são colocados em uma posição de liderança geralmente fazem muito estrago. E às vezes perde-se uma boa equipe e é óbvio, os resultados também. Isso acontece porque algumas pessoas não tem perfil de liderança e nem foram treinadas para isso, outras não tem bom senso mesmo, outras tem muitas crenças e outras ainda, medo da responsabilidade. De uma forma geral, falta um requisito fundamental para se tornar um excelente líder: o Autoconhecimento.

“A busca da liderança é, inicialmente, uma busca interior para descobrir quem você é de fato. Através do autoconhecimento, vem a confiança necessária para liderar. Um líder que não conhece a si mesmo não pode pressupor ser dono de si, nem tampouco imaginar-se responsável por outras pessoas. Precisa ter consciência de que pessoas diferentes têm necessidades diferentes, e, para isso, deve conhecer a si mesmo e aqueles ao seu entorno para ser assertivo nas suas posições”

Essa falta do autoconhecimento enfraquece as nossas percepções sobre o que acontece, interfere em nossas avaliações e julgamentos, e acaba prejudicando o processo de decisão que para um líder é fundamental. E isso deixa a equipe perdida.

Um verdadeiro líder primeiro precisa “gostar de pessoas”, não ter medo de se relacionar nem de falar o que precisa ser dito. Claro, com carinho e de preferência com um jeito “coaching” de ser. Um verdadeiro líder sente a necessidade e prepara sua equipe para ser a melhor equipe do mundo! Desenvolve as pessoas que estão com ele, ensina, treina muito, entende as dificuldades de cada um e ajuda na medida do possível na solução dos problemas e dificuldades particulares mantendo sempre a responsabilidade dos colaboradores nos papéis que desempenham e como isso afeta o todo. Um verdadeiro líder assume para ele a missão, compartilha, comunica, conversa, dá um bom feedback e pede feedback sempre. E o melhor, aprende com eles.

Bons líderes inspiram e promovem a capacitação das equipes.

Algumas pesquisas da Delloite, KPMG, Pricewaterhouse Coopers nos mostram os seguintes dados:

Quais são os fatores mais críticos para o sucesso da empresa?

• 76% Desenvolvimento de lideranças

• 72% Gerenciamento de talentos

• 72% Criação de uma cultura de alta performance

As empresas consideram que os líderes precisam se desenvolver mais e, além disso, gerenciar melhor seus talentos e incentivar as equipes a terem um desempenho superior.

• 91% consideram que os líderes não atuam o tempo todo alinhados com a visão e os valores da empresa.

• 70% acreditam que poucos líderes são vistos como justos e inspiradores.

Fica claro que ou a organização não transmite corretamente seus valores e visão, ou que o líder não acredita neles. Além disso, as lideranças têm falhado em serem exemplos para suas equipes e promover seu desenvolvimento.

Competências mais importantes para um líder:

• 88% Flexibilidade para mudanças

• 88% Liderar e desenvolver pessoas

• 87% Espírito colaborativo

• 85% Criatividade e inovação

• 85% Antecipar e administrar riscos

Baseados nessas informações, vou deixar aqui algumas dicas do que um verdadeiro líder deve fazer e o que jamais deve fazer:

Um líder não deve fazer:

• Nunca assuma as obrigações que delegou a alguém;

• Nunca critique em público;

• Nunca perca o equilíbrio emocional;

• Nunca use o poder do cargo para liderar;

• Não trate seus colaboradores como peças que podem ser substituídas;

• Nunca se envolva emocionalmente com um funcionário;

• Não estipule metas inatingíveis;

• Não ignore a vida pessoal dos indivíduos;

• Não esqueça de você, de sua família e de seus amigos;

• Não abandone seus sonhos.

O que deve fazer sempre:

• Aceitar sugestões, opiniões e ideias;

• Saiba o que o grupo espera de você;

• Entenda o perfil de cada colaborador;

• Seja o exemplo;

• Haja com equilíbrio.

Essas dicas já ajudaram muitos líderes em treinamentos de Liderança e LeaderCoach que já ministrei. De qualquer forma é preciso sempre usar o bom senso e o equilíbrio entre as coisas. Se você estiver interessado te envio um teste simples que vai te dizer se você possui as qualidades para ser um bom líder. É um teste bem simples, mas é o início de uma direção que pode ser seguida com um investimento no seu desenvolvimento pessoal. Chame inbox que te envio o teste.

E lembre-se:

“ O verdadeiro líder é aquele que conduz pessoas a trabalhar em equipe e a despertar a vontade de fazer”

Um forte abraço.

0 respostas

Deixe um comentário!

Quer contribuir com a conversa?
Participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *