Quantas vezes te mandaram engolir o choro quando você era pequen@?

E quantas vezes você já ouviu que chorar é sinal de fragilidade e fraqueza é coisa de menina?  (Como se ser menina fosse algo ruim…)

Por outro lado, você já reparou que até o oposto é visto com maus olhos?

Rir e se divertir no ambiente de trabalho já foi considerado por muitas pessoas falta de maturidade e bobeira.

E é sempre a mesma história: não sorria demais, não seja alegre demais, não seja otimista demais. Fale pouco mas também não fique quiet@…e blá, blá, blá.
É tanta regra que cansa até de ouvir! Até parece que existe um manual de instrução oculto da identidade perfeita, que poderia se chamar, inclusive, “as convenções sociais para se tornar um robô”.

Isso sem falar quando vamos para o nível profissional. Sentimentos em ambientes corporativos? Jamais! A regra é clara!

É por isso que esse é um dos posts mais importantes do blog: vim aqui avisar que as coisas já estão mudando!

Muitas empresas inovadoras perceberam que valorizar a autenticidade e abrir espaço para as emoções é uma das atitudes que mais aumenta o engajamento de seus colaboradores. Inclusive, as Soft Skills estão no topo das habilidades mais valorizadas no mercado de trabalho atualmente.

Aqui no INSTITUTO DNA, não só priorizamos a Inteligência Emocional no nosso dia a dia, como ela é uma das bases da nossa empresa e dos nossos treinamentos. Sabemos que um trabalhador engajado é aquele que veste a camisa do negócio!

O que faz todo sentido!

Temos que ter orgulho de sermos pessoas reais e os nossos sentimentos são o reflexo da nossa identidade única. Claro, que é preciso dosar certos comportamentos e ter consciência deles. Também não dá para sair quebrando tudo e gritando como se não houvesse amanhã.

Como tudo, Inteligência Emocional depende da prática cujo primeiro passo é entrar em contato com as emoções.

Que comece uma nova era em que engolir o choro não seja mais necessário!

E você? Concorda com tudo que eu falei? Deixa nos comentários!

0 respostas

Deixe um comentário!

Quer contribuir com a conversa?
Participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.