Independente do time que você torça, uma coisa é certa e é preciso reconhecer o mérito: o Flamengo fez o dever de casa.

Não sou flamenguista nem curto muito o futebol brasileiro do jeito qu

e está ruim e desinteressante, e que fique bem claro aqui que isso é apenas a minha opinião, mas tiro o meu chapéu para a lição que o Flamengo vem dando a muitos gestores que, se estiverem interessados em aprender, poderão tirar bastante proveito.

A primeira das lições é um mantra para o pessoal da área financeira: não se pode gastar mais do que você ganha ou arrecada. A reorganização das contas baseado nessa premissa permitiu o clube se reestruturar de uma forma eficaz. Cortes em investimentos altos, formação do elenco ao invés de contratações milionárias, estabelecimento de metas a serem alcançadas e em um determinado período de tempo foram fundamentais para que os fornecedores que estavam com recebimentos atrasados tivessem suas questões resolvidas e acredito muito na parceria de alguns para possibilitar ao clube quitar as dívidas. Nesse momento a postura de parceiro é fundamental para entender o momento e ajudar. Quem tomou essa postura hoje divide as glórias de um time que vem batendo recordes ao longo do ano. E ainda pode trazer mais prêmios até o final de 2019.

A outra lição é a persistência. Se você quer chegar ao final do caminho não dá pra ficar pelo meio dele, é preciso seguir em frente. Outros clubes ficaram pelo meio do caminho, nadaram e estão agonizando na praia. Vejo isso como um reflexo maldito da nossa cultura de planejamento: nenhuma!!! No Flamengo parece que isso foi feito de uma outra forma: definição de objetivos e metas realistas, união em torno de objetivos comuns e pé no chão.

Outra coisa que venho percebendo no time é a contratação de um treinador com uma filosofia diferente do que tem sido usado aqui. E mais uma vez isso foi bem interessante. Há tempos que os times brasileiros não ganham nada lá fora por que não fazem a diferença que faziam antes. Os outros aprenderam a jogar desse jeito e desenvolveram técnicas melhores, superando-se. É bonito ver o futebol Europeu, dá gosto! Não tem embromação, não tem mimimi nem cai cai o tempo todo, nem simulação de faltas e penaltes, de cotoveladas e dores, características dos jogadores sul americanos. Se houver alguma semelhança com os trabalhadores brasileiros é mera coincidência.

E por fim, pra não gerar mais polêmica do que já devo estar gerando com esse texto, o Comprometimento da equipe com o técnico e com a torcida fizeram toda a diferença, conquistando milhões de seguidores e até mesmo simpatizantes, pois quem é que não gosta de ver um bom jogo? Comprometimento é que faz acontecerem resultados de excelência, alicerçados pela disciplina e pela dedicação.

Quantas vezes temos repetidos essas palavras ao longo do ano para pessoas e empresas que querem ter resultados superiores, de excelência? E quão poucos se permitiram fazer o que era preciso para sair da zona de rebaixamento e ir para o topo da tabela? Fazer parte dos primeiros lugares que vão disputar um título maior é preciso comprometimento, disciplina, criatividade e ousadia, pé no chão, transparência, coragem e acreditar que é possível.

Quem não faz assim habita o meio da tabela, a zona morta do campeonato onde nada de novo acontece e todo mundo faz o mesmo feijão com arroz daquele jeitinho displicente do brasileiro que ainda insiste em repetir: “Em time que está ganhando não se mexe!”

Fica a dica!

TREINAMENTO M.A.P.A.S – Prática com os colaboradores incríveis do VLT Carioca

A comunicação positiva no ambiente de trabalho ajuda a construir uma confiança sólida que gera mais produtividade e engajamento dos colaboradores. Investir em programas que aperfeiçoem a comunicação pode ser um dos melhores investimentos lucrativos que uma empresa pode ter.

Problemas de comunicação, nesse caso, com chefes/lideres intransigentes são uma das maiores barreiras de relacionamento e contribuem para a desmotivação da equipe.

Pesquisas conceituadas já provaram que ter uma rede de confiança e apoio no trabalho não apenas representa uma motivação a mais para os colaboradores como reflete absurdamente na saúde e na qualidade de vida deles.

Assim, pessoas com amigos ou colegas de trabalho tem 27% a mais de chance de dizer que a missão da sua empresa faz com que eles sintam que o trabalho que fazem é importante.

Já é fato que relacionamentos saudáveis são cruciais para a saúde e para o sucesso.

Você sabia que ter um amigo/colega de trabalho diminui em 50% do risco de se ter um ataque cardíaco? 

Ou seja, a Comunicação deixa qualquer pessoa mais saudável, mais feliz e 7 vezes mais provável de estar engajado no trabalho.

Mais da metade dos colaboradores se sente mais à vontade de vestir a camisa de uma empresa que tem uma Cultura de empatia.

Além disso, pesquisas recentes descobriram que ter bons relacionamentos interpessoais é uma ótima maneira de melhorar o tratamento contra depressão e ansiedade.

Ter que passar 8 horas em um lugar ele precisa ser no mínimo agradável, do contrario, as outras áreas da vida podem começar a desmoronar também.

Quem já fez a roda da vida – exercício comum na PNL –  sabe que uma área tem grande poder de afetar todas as outras (se você nunca fez, clica aqui!)

E tudo começa pela forma com que comunicamos e a maneira que passamos nossa imagem.

Já parou pra pensar que a forma de falar pode mudar toda a forma com que você se relaciona no seu trabalho?

A comunicação não violenta e positiva faz com que você consiga o que quer mais rápido, fortalece seus relacionamentos, cria uma impressão positiva sobre você e melhora uma das áreas que mais impactam a sua forma de viver.

Bora pro passo a passo!

PASSO A PASSO PARA UMA COMUNICAÇÃO POSITIVA:

Treinar sua mente para olhar para os aspectos positivos de todas as situações

Você costuma enxergar o copo mais cheio ou mais vazio? Treinar seu cérebro para tirar de bom o que acontece em uma situação, mesmo que ruim, é uma ótima maneira de estimular o ambiente. Pensar positivamente faz você agir positivamente.

Evitar palavras negativas

“Não vai dar certo”; “Já estou cansado só de pensar”; “Que coisa chata” são opiniões negativas e condicionadas. Essas frase não acrescentam em nada e só servem para carregar ainda mais qualquer ambiente. Palavras tem poder, use-as para o bem.

– Tenha a cabeça voltada para soluções

Ás vezes é difícil enxergar novas possibilidades quando estamos no meio do furacão, mas treinar um olhar de águia para soluções é o tipo de coisa que tira a culpa e a responsabilidade do erro e de fato resolve o que está errado.

– Seja prestativ@ 

Ações também comunicam e formam opiniões. Ser educad@ e prestaviv@ mostra que você se importa e está abert@ para fazer parte da equipe. 

Escreva positivamente 

O treino da escrita positiva é perfeito para seu cérebro perceber e se acostumar com uma nova forma de pensar. Escrever, por si só, é uma maneira do seu cerébro criar novos caminhos. Se as palavras forem positivas, melhor ainda!

Se quer transmutar suas limitações pessimistas, comece pelo papel! Você vai ver como as palavras escritas tem o poder de serem traduzidas em ações!

O que achou?

Essas são algumas coisas que você pode começar a praticadar a partir de agora! Preste atenção em como cada detalhe vai começar a fazer a diferença no seu ambiente de trabalho e depois diga aqui pra gente o que achou.

Queremos saber como você esta se sentindo depois de praticar esse Passo a Passo! 

Não espere mais para conquistar a vida que você merece!

Se increva no Módulo de PNL, Comunicação e Relacionamentos clicando aqui!

 Fontes: https://getvoip.com/blog/2018/01/03/benefits-of-work-friend

Existe um famoso ditado em inglês: “Cuidado para não queimar suas pontes”. A frase surgiu de uma antiga prática militar na qual os exércitos queimavam as pontes após sua travessia, impedindo, assim. que o inimigo viesse atrás.

O ato, ao mesmo tempo, tornava impossível o retorno do exército em caso de emergência. Hoje, o ditado é usado para alertar todas as pessoas antes da destruição irremediável de contatos e relações com os demais. 

Construir relacionamentos é construir pontes e isso só se faz através de uma comunicação positiva. Ela pode ser sua maior aliada ou sua maior inimiga. Algumas pessoas queimam muitas pontes por não conseguir – ou não ter as ferramentas corretas – para se comunicar adequadamente. 

Se você tem os recursos certos para construir pontes sólidas, garanto que elas duram a vida toda. Por outro lado, uma ponte interrompida não leva à lugar nenhum.

Já parou pra pensar se você vem queimando as suas?

A comunicação bem feita é necessária para todo e qualquer relacionamento. Na hora de liderar um time não é diferente e as pontes que você constrói com a sua equipe precisam ter uma base sólida forjada na confiança e no respeito. 

Ser líder não é tão simples quanto parece. Liderar requer bastante paciência e autocontrole, não lidamos com robôs e sim com seres complexos, que tem suas crenças e criações.

Se você parar para pensar, as pessoas da sua equipe provavelmente tem tipos diferentes de personalidade.Você sabia que para conseguir se comunicar de modo eficiente é melhor não falar com todos ao mesmo tempo?

Problemas na comunicação fazem com que muitos líderes recém promovidos se sintam desrespeitados pelo time, achando que pode ser algo pessoal. E nem precisa ser um novato, a comunicação falha pode deixar até os lideres mais experientes inseguros, ansiosos e desconfortáveis. Sem falar na desmotivação que acarreta uma série de novos problemas.

Isso faz com que seja necessário que lideres desenvolvam uma forma de falar assertiva.

Algumas técnicas e ferramentas que ensinamos no módulo PNL, Comunicação e Relacionamentos são indispensáveis no cinto de utilidade de um verdadeiro líder: o Rapport, a Checagem ou Backtracking, Sistemas Representacionais entre outras…

Os pilares básicos da Liderança Assertiva são a empatia, o autocontrole e a inteligência emocional e tudo isso só vira prática através da comunicação!

Com pequenos ajustes é possível transmitir mais segurança tanto para seus liderados como para seus superiores. E o tempo que você usa aprendendo a se comunicar efetivamente com técnicas volta em dobro em forma de produtividade.

Por exemplo, quanto tempo você perde repetindo o feedback e lidando com os colaboradores que não o recebem bem? E como eles encaram isso?

Aliás, você sabe dar um bom feedback?

Uma comunicação bem planejada na hora do feedback é essencial. Apesar de ser um momento temido, é muito necessário para a produtividade e gestão. Não é raro que os colaboradores se sintam ofendidos e atacados. Entram no modo defensivo e não tiram do momento a oportunidades de crescimento que ele oferece. 

Mas não se preocupe, tudo isso tem jeito! Se você está aqui lendo esse artigo é porque provavelmente já identificou uma problema e está buscando melhorar. Reconhecer as dificuldades e buscar ajuda é o diferencial de qualquer pessoa que deseja comandar com excelência e fazer a diferença.

Ser um líder é encarar novos desafios e para isso você precisa adquirir novos conhecimentos a altura.

Decidid@ a fortalecer suas pontes? Fala com a gente!

Só depende de você!

Quantas vezes te mandaram engolir o choro quando você era pequen@?

E quantas vezes você já ouviu que chorar é sinal de fragilidade e fraqueza é coisa de menina?  (Como se ser menina fosse algo ruim…)

Por outro lado, você já reparou que até o oposto é visto com maus olhos?

Rir e se divertir no ambiente de trabalho já foi considerado por muitas pessoas falta de maturidade e bobeira.

E é sempre a mesma história: não sorria demais, não seja alegre demais, não seja otimista demais. Fale pouco mas também não fique quiet@…e blá, blá, blá.
É tanta regra que cansa até de ouvir! Até parece que existe um manual de instrução oculto da identidade perfeita, que poderia se chamar, inclusive, “as convenções sociais para se tornar um robô”.

Isso sem falar quando vamos para o nível profissional. Sentimentos em ambientes corporativos? Jamais! A regra é clara!

É por isso que esse é um dos posts mais importantes do blog: vim aqui avisar que as coisas já estão mudando!

Muitas empresas inovadoras perceberam que valorizar a autenticidade e abrir espaço para as emoções é uma das atitudes que mais aumenta o engajamento de seus colaboradores. Inclusive, as Soft Skills estão no topo das habilidades mais valorizadas no mercado de trabalho atualmente.

Aqui no INSTITUTO DNA, não só priorizamos a Inteligência Emocional no nosso dia a dia, como ela é uma das bases da nossa empresa e dos nossos treinamentos. Sabemos que um trabalhador engajado é aquele que veste a camisa do negócio!

O que faz todo sentido!

Temos que ter orgulho de sermos pessoas reais e os nossos sentimentos são o reflexo da nossa identidade única. Claro, que é preciso dosar certos comportamentos e ter consciência deles. Também não dá para sair quebrando tudo e gritando como se não houvesse amanhã.

Como tudo, Inteligência Emocional depende da prática cujo primeiro passo é entrar em contato com as emoções.

Que comece uma nova era em que engolir o choro não seja mais necessário!

E você? Concorda com tudo que eu falei? Deixa nos comentários!

O futuro da Colaboração

De forma simples, o C-suite é uma forma de colaboração cruzada.

E o que é isso?

Symphonic é um modelo em que os líderes e dirigentes dos altos cargos (CEO´s e CFO´s e etc.) começam a fazer parte dos diferentes grupos da empresa, colaborando com seus insights e suas experiências.

Tal modelo está provando ser o que há de mais novo em forma de interação e resolução de problemas em ambientes de trabalho.

As gerações mudam e a tecnologia cada vez mais chega para acelerar nossa rotina. Hoje, o trabalho grita por colaboração e inteligência emocional.

Você já tinha ouvido falar nesse modelo inovador?

Por exemplo, aqui no INSTITUTO DNA, já implantamos essa nova maneira de pensar e enxergar nossa rotina. Trabalhamos todos juntos e próximos, muitas vezes usando a própria tecnologia à nosso favor (Post de semana que vem! Aguardem!). As opiniões de todos são ouvidas e levadas muito a sério e todos tem a oportunidade de expor seu ponto de vista.

É literalmente colocar em prática o velho ditado “Dez cabeças pensam melhor que uma!” diariamente.

Para nós, sempre foi natural promover a integração dessa maneira. E os resultados não negam: mais motivação, mais ideias, mais rapidez e produtividade!

Na pesquisa de 2018 da Deloitte’s 2018 Global Human Capital Trends (da Deloitte´s), foi identificado que as empresas com maior “colaboração cruzada” dos CXO´s eram as mais prováveis de ter um crescimento de 10% no mínimo.

Em todos os treinamentos que oferecemos para nosso clientes, integração, comunicação e inteligência emocional são palavras chave. Acreditamos que organizações que tem como base o trabalho em equipe são o futuro e a tendência (como vocês já podem ter percebido) é que o modelo C-Suite se torne cada dimais presente.

Vai ficar fora dessa?

Já se foi o tempo dos líderes delegarem sozinhos no topo, hoje o segredo de um negócio de sucesso é compartilhar e agregar valor!

Vem com a gente nessa novidade! Você não vai se arrepender!

O que  achou? Vai colocar em prática na sua empresa?

Deixa aqui nos comentários!

Diferente do que pensávamos, talvez um dos maiores avanços do século XXI não tenha sido a globalização da comunicação ou a tecnologia integrada, mas sim o reconhecimento dos colaboradores como o recurso mais valioso de uma empresa.

Por isso, ao passo que a tecnologia continua a se desenvolver, mais percebemos o valor do capital humano e a necessidade de implementá-la no nosso dia a dia profissional.

A questão mais importante é “como podemos usar a tecnologia a favor das pessoas?”

Uma das maneiras é o People Analytics. Uma das maiores tendências em gestão de alta performance da atualidade.

People Analytics é o “processo de coleta, organização e análise de dados sobre o comportamento dos colaboradores, com o intuito de contribuir para a tomada de decisão estratégica.”

Através dele é possível mensurar comportamentos e desempenhos, entender o que motiva e gerar mais produtividade e felicidade no ambiente de trabalho.

A implementação dessa nova forma de olhar antigas questões através de análise, ajuda a diminuir custo, baixo engajamento e, principalmente, a dificuldade de reter talentos.

Ben Waber, CEO da Humanyze,  diz que quando “ usamos dados para entender os comportamentos dentro do ambiente de trabalho que tornam as pessoas eficientes, felizes, criativas, especialistas, líderes, seguidores, enfim, estamos usando People Analytics.” 

A Análise DISC Profiler é uma das ferramentas mais usadas para análise de perfil e é de grande ajuda, não somente para profissionais de Recursos Humanos, como para qualquer pessoa que tenha que lidar com gestão de pessoas.

Criada por William Moulto Marston, na década de 20, esse modelo é um ótimo exemplo de como a tecnologia aliada à necessidade humana pode gerar resultados surpreendentes.

A palavra Profiler se refere à um software de alta tecnologia com capacidade de mapear os perfis comportamentais e tem por objetivo identificar as forças e talentos dos colaboradores.

Só no processo seletivo há grande economia de tempo e dinheiro. E isso tudo, sem falar nos dados valiosos que serão usados em futuras estratégias.

Grande avanço, não acha?

Analisar as métricas de recursos humanos de uma empresa e tomar decisões com base em dados é um processo que, há 15 anos atrás, custaria muito caro.

Hoje, com a democratização da tecnologia isso se tornou algo que está ao alcance da maioria das empresas e empreendedores.

Claro, é necessário Investir em profissionais qualificados tanto em análise de dados,  quanto em análise de perfis comportamentais, como no caso do DISC Profiler.

De outra maneira, de nada adianta investir em tecnologia.

Mas se até agora o gestor ainda não entendeu que os colaboradores devem vir em primeiro lugar na sua empresa, talvez devesse começar a treinar Paciência porque logo, logo o computador vai ser sua única companhia.

Queremos saber sua opinião! A sua empresa já utiliza e investe em People Analytics? Comenta aqui embaixo!

Liderança sempre vai ser um assunto em Alta no meio empresarial. Existem muitas teorias sobre o que faz um líder ser ótimo. Sabemos que a Inteligência Emocional é parte central de uma boa liderança, mas será que ela sozinha é suficiente?

De acordo com o MIT (Massachusetts Institute of Technology), não.

Através de uma pesquisa feita com mais de 3.000 executivos, o MIT conseguiu mapear as 4 Capacidades mais comuns em líderes de Alta Performance.

De acordo com Deborah Ancona, diretora do Centro de Liderança do MIT e uma das chefes da pesquisa, o Modelo tenta entender como funciona a mente dos líderes de Alta Performance e nos ajuda a responder perguntas como: 

O que me ajuda a superar as coisas que acontecem comigo? 

Como mudar de padrão e ir em direção a uma liderança mais efetiva?

Quer saber quais são essas Capacidades? Vamos a elas!

1 – Sentido – Capacidade de ver sentido no contexto em você opera. 

É difícil saber para onde ir e o que fazer a não ser que você tenha um bom senso de realidade, na companhia, no país e no MUNDO. 

Como as pessoas enxergam a situação? Quem são os stakeholders?

Tudo isso contribui para você formar uma visão geral do que está acontecendo.

2 – Capacidade de se relacionar – Liderança não é um esporte individual

Uma parte importante da liderança é entender quem são as pessoas que fazem parte do seu time. 

O que é importante para elas? O que pensam e como encaram as situações?

E não é uma via de mão única. É importante ser capaz de comunicar o seu ponto de vista também.

“Um dialogo efetivo entre indivíduos que leva ao compromisso, confiança e motivação depende de um processo recíproco de compreensão enquanto você também compartilha!”

3 – Visão de futuro – Capacidade de imaginar novos cenários

A capacidade de imaginar um futuro diferente do que você está se encaminhando se as coisas permanecerem do jeito que estão.

4 – Inventividade – Capacidade de criar estruturas e Processos

Essa Capacidade muda a maneira com que as pessoas trabalham juntas. Direciona as ações em prol de uma visão de futuro para transformar o produto em algo palpável e leva-lo para a rua (literalmente) . 

Inventividade é a implementação e execução com uma pitada de criatividade.

As capacidades de liderança são aplicáveis em qualquer tipo de organização, tanto em nações desenvolvidas como em desenvolvimento.

É importante falar que as 4 Capacidades tendem a se misturar. É normal transitar entre elas, sendo a Capacidade de relacionamento presente o tempo todo. 

Não se preocupe se você não enxerga todas em você. A grande vantagem do Modelo é dar uma direção para que possamos entender qual característica deve ser mais trabalhada.

Deborah Ancona ainda diz que “o que os os líderes do Futuro devem fazer é abrir mão de modelos ultrapassados e ver o mundo com novos olhos”

Quantas identificou em você?

Conta pra gente aqui nos comentários! Vamos adorar saber!

 

Fonte: https://www.forbes.com/2010/09/07/deborah-ancona-mit-leadership-managing-varghese.html#317c0e9186ce

Treinamento CCR

E lembro bem de quando isso começou. Não sou tão velho assim mas vem do tempo do Fernando Collor e da Ministra Zélia que garfou nossa poupança e conta bancária. Eu já era empreendedor e tinha uma empresa de Comunicação Integrada e Design e me vi às voltas com um monte de clientes cancelando os trabalhos porque ficaram sem grana também, um monte de funcionários que tinha que pagar, contas, contas e mais contas…e me vi pressionado a dar uma solução na situação. Como fazer para sair disso?

E como sou chegado a desafios, fui buscar um “bico” pra fazer um dinheiro a mais e arranjei uma vaga de professor do Curso Técnico de Propaganda no Liceu de Artes e Ofícios, onde fui jogado dentro de uma sala de aula sem experiência nenhuma, de cara pra uma turma de 50 adolescentes que estavam no fundo da sala me encarando.

 

E agora, o que fazer?

 

Então olhei para o quadro negro gigantesco, um monte de bastões de giz coloridos, e não pensei duas vezes: peguei o giz e comecei a desenhar em todo o quadro uma ilustração do Cristo Redentor com a visão do Pão de Açúcar e a baía de Guanabara, ilustração que eu já tinha feito e estava na minha memória. Aos poucos os alunos foram se chegando, um a um, foram me rodeando e perguntando um monte de coisas e num instante tinha conquistado o respeito da turma. Ensinei todo mundo a desenhar. E de lá pra cá treinei mais de 7 turmas em desenho publicitário e muitos estão no mercado até hoje. Logo em seguida a esse início fui chamado para a ETEC, e depois para a Estácio, a Castelo Branco, a Unipli, a Anhanguera…e de lá pra cá tenho treinado e desenvolvido as habilidades e competências de muitas pessoas.

 

Descobri com isso que eu tinha um talento nato para ajudar as pessoas a desenvolverem suas habilidades e competências e acabei buscando, entre outras coisas, o coach, a PNL, a Psicologia Positiva, a Inteligência Emocional, e um monte de outras ferramentas para ajudá-las nesse processo de desenvolvimento.

 

Fundei o INSTITUTO DNA e hoje me sinto realizado por ajudar a muitas pessoas e empresas treinando suas equipes, times, lideranças e seus  gestores a fazerem a diferença.

 

Essa é um pouco da minha história que justifica o nome DNA para uma empresa de treinamentos, workshops, cursos e consultoria comportamental porque treinar Habilidade e Competências está no sangue, tá no DNA.

 

Se quiser conhecer nos siga no @institutodna (Instagram) e nas outras redes. Inscreva-se no nosso canal INSTITUTO DNA RJ (Youtube) e saiba mais como ajudamos pessoas e empresas a performarem com Excelência e a obter resultados superiores em tudo o que fazem.

Ah! E resolvi a questão do “bico”, de conseguir um dinheiro extra e minha empresa cresceu.

Liderança não é para qualquer um, é pra quem tem a vontade de se autoconhecer.

Um dos grandes problemas percebidos nas empresas atualmente está relacionado à questão das lideranças. E eles se apresentam de diversas formas transformando-se em verdadeiros desafios para Gestores de RH e a Direção das empresas e que, em uma grande parte das vezes, também colaboram para que esses problemas aconteçam: desmotivação, baixa produtividade, baixo accountability, falta de direcionamento e sentido, baixos resultados em relação às metas, tédio, e acabam afetando a qualidade de vida e a saúde dos colaboradores e da própria empresa, que se reflete em queda no faturamento, perda de clientes, aumento das reclamações.

Leia mais

Relacionamentos não acontecem por acaso. É uma construção do dia a dia.

E nada mais certo do que essa afirmação. Não é de hoje que venho observando como os relacionamentos na nossa vida são difíceis. Não importa em que nível ou aspecto, não é simples se relacionar com outras pessoas ou grupos, sejam eles familiares, relacionamentos amorosos, pais e filhos, amigos, vizinhos e principalmente no ambiente de trabalho. Tem sempre alguém que nos incomoda, tira do sério, controla nosso estado emocional e acaba com nosso dia, às vezes. 

Será que é isso tudo mesmo ou eu estou exagerando?

Leia mais